O GERENTE SAFADO  

  
 

Combinamos nosso encontro a alguns dias atrás, ele apenas me disse que tinha uma fantasia para realizar,  que queria que fosse comigo. Topei, tentei perguntar, mas ele se limitou em dizer que eu também iria gostar, que não viu nenhum relato meu de um encontro assim.   
 

Ele fez questão que eu contasse aqui. Ainda bem, pois foi muito excitante.  
  

Cheguei no ponto de encontro, logo em seguida ele veio até mim. Fomos para o seu carro, ele me entregou uma pasta e pediu para trocar de mochila, e colocar uma camisa que estava escrito "APRENDIZ" e o nome da loja, juntamente com um boné. Me explicou que eu me passaria por um aprendiz que foi enviado de outra loja da rede para fazer aprender a fazer conferencia no estoque.   
 

Fomos para a loja, que não ficava muito longe dali. Chegamos e fomos direto para o estoque, muitos moveis, aparelhos domésticos em geral. Era bem grande, ele me levou até o fundo, onde tinha uma escada que dava para um mezanino. Subiu na minha frente, e pediu para subir logo em seguida. A loja já estava praticamente vazia, tinha alguns funcionarios já indo embora e o segurança na porta de entrada.  
 

Chegando lá ele ficou de quatro sobre uma mesa que tinha no meio da bagunça, empinou bem a bunda e  esticou os braços pra frente e me disse:  

- Juan,me ajuda a pegar aquela caixa ali na frente, tá longe, eu não alcanço.  
 

Me encaixei atras dele, me debrucei sobre seu corpo e peguei a caixa. Ele pediu para abrir e pegar o que tinha la dentro. Pra minha  surpresa tinha cardas, uma mordaça e um capuz. 

 

Ele viu minha cara de surpresa e disse:  

 

- Quero que você me amarre, me amordace e coloque esse capuz. Quero te foder assim. 

 

Aquilo me deixou animadíssimo. Peguei a caixa coloquei sobre a mesa, puxei uma cadeira que estava no meio da bagunça, puxei pra perto de mim, tirei suas calça, o deixando somente de cueca, o puto estava com uma cueca preta, de couro bem colada, marcado seu pau e seu rabo.  

O deixei com a camisa da loja, fiz ele sentar na cadeira, amarrei seus braço para trás, suas pernas nos pês da cadeira e coloquei a mordaça em sua boca. Só de fazer isso ele estava de pau duro, dava pra ver sobre a cueca. Tirei minha roupa, e coloquei o capuz. Fui por trás, encostei meu pau em suas mão amarradas, sussurrei em seu ouvido. 

 

- Hoje vai ser todinho meu.  

Tentou falar algo mas só ouvi gemidos.  

Passei para sua frente, e comecei a beijar seu pescoço, com as mão sobre seus joelhos fui descendo, abrindo a camisa e passando minha linguá por seu peitoral. Parando em seus mamilos, chupando um por vês, bem gostoso. Ele gemia, se contorcia na cadeira. Desci ate sua barriga me ajoelhei e em sua frente, e comecei a passar a mão sobre seu pau, que estava pulsando dentro da cueca. Brinquei com minha boca sobre ele, passando a linguá dando mordidas. Olhei para cima e via sua cara de prazer. Coloquei minha mão dentro da cueca, me levantei, fui ate seus ouvidos e disse: 

 

- É  isso que eu estou querendo, é isso que eu vou ter. AGORA.  

 

Me abaixei, tirei sua cueca, e comecei a chupar, mamava aquele caralho gostoso, só ouvia seus gemidos. Olhei para seu rosto e ele balançando com negação e tentava falar pra mim parar. Ai que fui mais forte ainda. Chupei com mais vontade, quando percebi que ele ia gozar. Parei. Ele tremia, tentava se conter, não conseguiu gozou.  

Disse pra ele: 

 

Não foi bom isso o que você fez, queria ter usado mais desse pau. De castigo vou te deixar amarrado ai, e ficar somente te olhando.  

Ele queria sair, não deixei, tirei a mordaça da sua boca  parei ao seu lado, peguei meu pau e dei pra ele mama, forçava a cabeça dele pra baixo. Ele tirava o pau da boca, e ficava tentando se soltar, segurei bem em seu rosto e disse:

  

- Fica bem calminho e quietinho, que eu não sou um de seus funcionários, aqui você é meu subordinado.

  

Ele começou a falar: 

 

- Cara, me solta quero segurar seu pau com minhas mãos, deixa?  

Fiz de conta que não ouvi, tapei a boca dele e novamente voltei a chupar seu pau.  

 

Que começou a crescer, me virei de costas pra ele, me posicionei na mesa e empinei minha bunda, me virava e olhava pra ele dando tapas e meu rabo falava: 

- Você quer? Ou não?  

Ele ficava tentando se soltar e gemia na cadeira, fazia que sim com a cabeça, e eu muito sacana respondi: 

- Quer é? Mas não vou dar, estou cansado e já estou indo embora. E quero que fique bem quietinho ai. 

 Comecei a me vestir coloquei minha cueca, minha camisa ... ele entrou em desespero tentava se soltar e falar comigo. Coloquei minha calça, e fui saindo, ele pulava sobre a cadeira queria sair de todas as formas. Parei na porta, olhei pra ele e disse:  

 

- Até mais.  

Fiquei parado na escada, até ele parar de fazer barulho. Voltei e ele continuava sentado na cadeira amarrado e ofegante. Olhei pra ele:

 

- Sabe porque voltei? Porque você ficou bem quietinho, obedecendo o que eu tinha te pedido.  

Vi em seus olhos a cara de alivio quando me viu. Cheguei próximo a ele, e seu pau estava subindo novamente entre as pernas. Comecei a tirar minha roupa em sua frente, fiquei o provocando até seu pau ficar bem duro. Me ajoelhei e comecei uma boa mamada. Deixando ele mais duro ainda. Fechei suas pernas deixando somente o pau dele duro apontando pra cima. Subi sobre ele,  e olhando em seus olhos disse: 

- Agora você vai me foder, bem gostoso. 

Fui encaixando aquele pau dentro de mim, ate entrar tudo. Comecei a rebolar, ele gemia eu pulava naquele pau gostoso comandando cada movimento. Ia rápido, parava, voltava. Me levantei, fiquei de costas pra ele, e sentei novamente, rebolando naquele macho gostoso.  

Ele tentava socar mas não tinha como, estava preso. Sai novamente de cima dele, me virei e sentei no seu pau, ficando parado, apenas olhando pra ele e me masturbando com seu pau enfiado bem gostoso dentro de mim. Comecei a subir e descer bem devagar no seu pau. Até eu gozar, a que delicia gozei no peito dele, a porra escorria ate seu pau. Sai de cima dele, o deixando de pau duro, tirei a mordaça e ele disse: 

-Como assim, não vai me deixar gozar? Senta aqui.  

Dei uma risada bem safada e não respondi. Desamarrei seus pés da cadeira e depois liberei suas mãos, tireo o capuz, e joguei tudo no chão. Ele se levantou da cadeira e veio pra cima de mim, me virou de costas me empurrando sobre a mesa, abriu minhas pernas e enfio o seu caralho, e falando:

-Ta achando que vai gozar e não vai me dar esse rabo é? Quero gozar dentro dele .  

E socava gostoso, agora foi minha vez de gemer e ouvir ele falando: 

 

- Agora quem ta no comando heim? Quem? Fala?  

Me dava tapas na bunda e continuava. 

- Achei que você fosse embora, e me deixar amarrado aqui, seu puto, agora você vai ver toma no cu safado.  

E ele meteu gostoso, foi socando com força até que veio o gozo. Ele gozou muto com seu pau dentro de mim, a camisinha ficou cheia de leite. Ele tirou ela do pau, jogou no chão e veio pra cima de mim novamente, dessa vez com muitos beijos, me beijava feito louco, e me abraçava. Eu estava sem ar ainda. Sentamos no chão encostados na parede e começamos a dar risada, ele me dizia: 

- Cara, juro que achei que você fosse embora. Fiquei com o cu na mão.  

Dando risada eu disse: 

-A culpa foi sua, você que disse pra mim ficar a vontade.  

Ele ria, disse que foi melhor que o esperado. Sempre quis meter assim. E o safado fez questão de falar que queria que eu contasse aqui.

Depois de descansar, nos trocamos coloquei o uniforme que ele tinha me dado, arrumamos, a bagunça e saímos. Na saída da loja, um segurança charmoso, todo de uniforme preto, ficou me olhando. O gerente foi á e falou alguma coisa com ele e veio até meu encontro e fomos para o carro. Enquanto colocava minha roupa ele disse: 

- Aquele segurança e muito amigo meu, ele ta sabendo de tudo. Fazemos algumas farras juntos. Ele ficou interessado em você, posso passar seu contato?  

De prontidão disse que sim. E que quando estiver afim é só me chamar.  

O gerente me disse que ainda tem algumas fantasias a serem postas em teste, e que breve me chama.  

Agora é so aguardar pra ver qual a próxima aventura que esse safado vai aprontar.

  • Instagram - Black Circle
  • Twitter - Black Circle

Todos os diretos reservados a ©JuanCalabares (19) 9 9627 7211

AGUARDE A PAGINA SER CARREGADA 

Registre-se no Site e receba as atualizações.