VINHO CALCINHA E CHICOTE 

O SUBMISSO 

Assim que chegou sentamos na varanda, começamos a nos conhecer melhor. Ele foi se soltando, relaxando, e começamos ali mesmo as caricias.  

Estava bem a vontade, relaxado, entramos nos beijando pela casa até chegarmos no quarto. Onde estava tudo preparado como ele pediu, meia luz, um bom vinho, as taças, o chicote e a calcinha. Pediu para fechar a porta e o esperar  pelo lado de fora. Que me avisaria quando entrar.

 

Estando pronto me chamou.  

Entrei no quarto somente de cueca preta como ele tinha me pedido anteriormente, ele estava sentado próximo a mesa que coloquei ali, usando a calcinha, e tomando vinho. Pediu para me sentar ao seu lado e me servir do vinho. Continuamos a conversar, a beber, ele parecia outra pessoa. Estava muito sensual, com um olhar sedento por sexo, mas nada feminino apesar da lingerie. 

 

Acariciava minhas pernas, passava sua mão por meu corpo, me olhando bem no fundo dos olhos. Terminando nossa primeira taça, se levantou me levou até a cama, pedindo para ficar sentado na beirada, se ajoelhou começando a acariciar meu pau com a boca. Foi fazendo movimentos até o tirar pra fora e começar a chupar, bem lentamente, chupava e me olhava. Que boca, que olhar... 

Após me chupar se levantou, subiu na cama ficou de quatro e pediu para mim fazer o que me desse vontade com ele. A, mas eu estava inspirado e tinha um chicote do meu lado, o que eu fiz? Acariciei aquela bundinha, pequena, com aquela calcinha vermelha se destacando em sua pele branquinha. Dei beijos, passei a mão bem lentamente sobre ela, dando muito carinho.

 

Estendi minha mão para o lado pegando o chicote, acariciei mais um pouquinho, e fui me afastando aos poucos, tomei uma pequena distancia, segurei firme no chicote e bati,  o safado só gemeu e pediu mais. Ai foram sequencias de açoites, um atrás do outro. E como o puto estava? De pau duro, arrepiado, estava adorando e pedindo mais. 

 Parei, coloquei o chicote do lado, ergui aquela bunda que já não estava mais branquinha e sim bem vermelha, e cai de boca chupando aquele rabinho. Coloquei a calcinha de lado, abri mais ainda  e encostei meu pau bem na entrada. Cuspi na cabeça dele, e soquei... só não entrou tudo de uma vez pois ele saltou para frente caindo de bruços sobre a cama, pedindo para parar.  O peguei pelo cabelo, encaixei meu pau na entrada daquele rabo gostoso, e meti novamente. Desta vez não teve como escapar, entrou tudo, ele gritou de dor e se contorcia. O segurei firme, pelos braços, ficava tentando tirar meu pau da sua bunda. Me deitei sobre ele, e falei em seus ouvidos: 

 

- Você queria sentir dor, não queria? Agora aguenta

.  

Tapei a boca dele com uma de minhas mãos e comecei a socar forte novamente. Ele gemia, se debatia e eu socava. O suor começou a escorrer em suas costas, seus cabelos estavam molhados. Sai bruscamente de cima , o deixando deitado sobre a cama. Me sentei na cadeira onde estávamos anteriormente, coloquei mais vinho em minha taça, coloquei meus pés sobre a cama e mandei ele lamber. 

 Ainda de bruços foi se virando lentamente até chegar a eles, os beijava e me olhava com uma cara de quem queria mais. Abusado veio descendo lentamente da cama, e foi beijando meus pés, subindo pela perna até chegar em minha boca. Quando me deu o beijo o empurrei para cima da cama novamente, me aproximei bem próximo a ele e disse: 

 - Abra bem essas pernas, que eu quero mais de você.  

Ele tentou se virar e sair, mas peguei suas pernas o aproximei de meu corpo o deixando com elas presas em minha cintura. Encaixei meu pau em seu rabo e novamente soquei forte. O safado estava gostando, seu pau estava a ponto de estourar. Segurei mais leve, diminui a pressão, e comecei a socar lentamente. 

 

Olhando pra mim e sorria, um sorriso safado de quem estava adorando a brincadeira.  

Me debrucei sobre ele, trocamos um beijo quente, o puto segurou minha cabeça e olhou em meus olhos me falando: 

 

- Quero gozar com seu pau dentro de mim!  

Voltei a minha posição anterior e comecei a foder ele com vontade. Meti novamente com força, ele começou a gemer, quando olhei para o seu pau estava jorrando porra sem ao menos ele ter tocado. Tirei o meu pau de dentro, o levantei da cama, coloquei de joelhos no chão, e bati uma até gozar em sua cara. Limpou seu rosto com as mãos e lambeu cada gota da porra que estava em sua cara. 

 Me sentei na cadeira e ele se jogou na cama. Olhava pra mim sem folego e dava risadas, coloquei um pouco de vinho para ele e para mim. Sentei ao seu lado na cama, dando a taça a ele e encostamos na cabeceira. Comecei a acariciar seus cabelos,  coloquei sua cabeça em meu peito e lhe dei um beijo. E bem sarcástico disse a ele: 

- Foi um bom menino, merece carinho agora.  

Dei risadas, ele olhou pra mim e disse: 

 

- Mereço mesmo, to acabado rapaz, do jeito que eu queria.  

Ficamos ali só curtindo o momento, tranquilos e felizes, nos curtindo.

 

Fomos para o banho, nos lavamos nos trocamos, e fomos almoçar. Depois de uma bela foda dessa nem preciso falar que estávamos famintos.  

 

Passamos uma tarde bem agradável juntos, fizemos alguns passeio pela cidade, e me trouxe novamente para casa. Nos despedimos ele retornou para sua cidade.  

  • Instagram - Black Circle
  • Twitter - Black Circle

Todos os diretos reservados a ©JuanCalabares (19) 9 9627 7211

AGUARDE A PAGINA SER CARREGADA 

Registre-se no Site e receba as atualizações.