NOVINHO MARRENTO NÃO AGUENTOU 

Fui fazer algumas coisas no centro da cidade pela manhã, assim que terminei estava atravessando a praça central quando um rapaz parou ao me lado e disse: 

- Duvido eu teu pau e grande igual na foto! 

Me assustei, não estava esperando uma abordagem tão direta assim, e muito menos no centro da cidade. Olhei assustado, era um rapaz aparentemente com 18 anos de idade, magro alto, todo marrentinho. Em voz baixa falei para ele: 

- Cara. Estamos no centro da cidade, tem gente aqui perto. Não é assim que funciona.  

Ele deu risada e disse: 

 

- Ué, mas você não é garoto de programa?  

Engoli seco, e respondi: 

- Sou sim cara, mas aqui não é local para esse tipo de assunto, não ao menos da forma que você esta abordando e falando comigo. Seja mais discreto.

Ele nem se importou e continuou falando: 

- Quero ver teu pau, duvido que é grande assim.  

Vi que não ia ter papo com ele, peguei meu cartão em minha carteira entreguei pra ele e disse: 

- E não vai ser aqui que você irá ver. Se quiser marcamos algo e vamos em um local mais discreto. Entre em contato comigo pelo telefone ai do cartão que acertamos tudo. 

 

Pegou o cartão, deu risada e falou: 

- Já vi que é tudo papo, é photoshop.  

Nem dei bola, uma pelo local e outra que com certeza não iria adiantar tentar um dialogo civilizado ali com ele.  

 Já em casa recebi uma mensagem, era ele, na mensagem me dizia: " Pago pra ver, se teu pau for menor que nas fotos eu pago R$5,00 por centímetro, se for maior pago R$20,00 " Juro que pensei 2x antes de responder. Com certeza seria mais um sem ter o que fazer me importunando. Mas respondi. "Então se prepare e marque um horário, que com certeza você vai se surpreender"  

Depois disso ele apenas mandou apenas "OK" e não falou mais nada. Dei como encerrado o assunto e fui continuar a fazer minhas coisas. Logo recebo uma ligação (ainda não sei como,  aqui em casa  é raro pegar sinal) Quem era? Logico que era o rapaz novamente e no celular me falou:  

 

- Estou com o dinheiro, e daqui a pouco estou sozinho em casa, topa?  

Tentei dialogar e falar que precisava marcar antes, e que tinha compromisso algum temo depois daquele horário.  Mas não adiantou, disse que era tudo papo, que   pagava pra ver se era verdade. Bom diante disso acabei topando,  ele me irritou bastante, ia mostrar pra ele os 22 centímetros bem de pertinho. Disse pra ele que teria quer ser tempo reduzido por ter compromisso após o encontro, ele topou e me passou seu endereço.  

Me arrumei e fui, meio contra gosto e achando que com toda certeza era um endereço falso. Quando cheguei no local tive mais certeza ainda que era falso o endereço, condomínio fechado, com portaria e tudo. Mas, por desencargo de consciência parei na entrada e disse o nome dele e o endereço, e não é que era verdade? Mas ainda assim estava com um pé atras, ele poderia ter passado um nome falso, de alguém que ele conhecesse. Entrei parei em frente a casa que ele me disse e chamei, ainda achava que sairia outra pessoa de lá.  

Quando abriu a porta quem era? O próprio, todo marrentinho veio dando risada e disse: 

- Não é que você veio mesmo, achei que fosse dar pra trás, entra ai.  

Já dentro da casa, ele veio pegando no meu pau me beijando, todo atirado já foi baixando minha calça, tirando minha roupa. O segurei, e disse: 

 

 - Calma rapaz, vamos devagar, deixa eu te perguntar... 

Ele pra variar não me escutou e disse que estava louco pra ver meu pau.

O segurei novamente, pedi pra ter calma e perguntei: 

- Essa é a sua primeira vez né?  

Ele ficou totalmente sem graça, tentou negar mas fui insizivo.: 

 

- Calma, tudo ao seu tempo. Primeiro, quantos anos você tem? Segundo, vou te explicar algumas coisas sobre como funciona um encontro, senta aqui. 

 

Ele ficou roxo, verde, vermelho ... nos sentamos no sofá e ele foi me falando :

- Cara, ta errado o que eu to fazendo né? Eu nunca sai com homem antes, e muito menos paguei pra alguém, meus amigos que falaram que era assim, ai to tentando seguir. Eu tenho 19 anos pode ficar tranquilo (me mostrou os documentos dele).  

Pedi pra ele me falar o que tinha vontade, e ficar calmo, que ia ser tudo ao seu tempo e da forma que ele quisesse, mas precisava intender que não era daquele maneira que funcionava, não comigo.  

Ele ficou mais calmo, e consegui entender o que ele realmente queria. Que agora sim ele poderia "agir" como antes,  marrento e cheio de si. Ele deu risada e falou: 

-Serio? Então beleza.  

E já veio pra cima de mim, pegando no meu pau e falando: 

- Faz esse caralho ficar duro, quero ver se é grande mesmo, lembra? Vou te pagar por centímetro.  

Peguei a cabeça dele empurrei no meu pau e comecei a forçar falando: 

- Quer  meu pau duro, quer? Então engole ele porra. Moleque marrento, vou te mostrar como que funciona.  

Soquei a boca dele e meu pau que começou a inchar na boca dele, se engasgava toda hora, mal sabia como por na boca e chupar. Segurava firme na cabeça dele e força la no fundo. Já estava saindo lagrimas em seus olhos, pediu para mim parar e olhando com oc solhos cehio de lagrima me falo: 

 

- Porra, acho que me fodi.  

 

Dei risada  olhei pra ele e falei:  

- Ainda não ! 

Ele deu um sorriso com uma carinha de safado, me levou em direção a uma escada que ia para os quartos da casa. Pedi pra ele ir na frente, no meio da escada o segurei pelo braço, tirei sua camisa, sua calça e baixei sua cueca. O coloquei de costas, inclinei seu corpo, deixando sua bunda magrinha, virada pra mim. Me abaixei por trás e comecei a passar a linguá por ela. Se arrepiou inteiro quando cheguei a linguá bem na entrada do seu rabo, que realmente era apertadinho, nunca tinha visto um pau antes. 

 

Me levantei e continuei seguindo ele. Entramos em seu quarto, coloquei ele de quatro na cama e continuei chupando aquele rabinho gostoso. Pedi pra ele se deitar que eu ia brincar mais um pouquinho, chupei gostoso, e coloquei um dedinho, depois chupei mais um pouco e continue brincado com o dedo, ele estava gemendo e nervoso, chegava perto do seu rabinho com o segundo dedo ele já se assustava.  

Coloquei ele sentado do meu lado, me abaixei e comecei a mamar seu pau, bem devagar e gostoso, mamei pra deixar ele mais relaxado. Me levantei, dei um beijo nele, e perguntei: 

- Esta preparado, quer tentar?  

Ele pegou no meu pau, olhou bem, deu uma chupada e disse: 

- Cara vai com calma, sei que te deixei irritado, mas já expliquei o motivo.  

Pedi pra ele relaxar, ia somente até onde ele aguentasse.  Disse para ele deitar de lado, me encaixei atras, posicionei o meu pau, lubrifiquei bem e pedi para ele ir empurrando sua bunda devagar, somente ate onde ele aguentasse. Que ali quem estava no comendo era ele. Ele começou a empurrar sua bundinha no meu pau, passei meus braços por cima pegando em seu, e começando uma punheta para. Ele, empurrava e parava, empurrava e parava, dizia doer muito. Pedi pra ele colocar o máximo que conseguisse e ficar parado um pouco com ele dentro. Entrou a cabeça e ele suava frio,tremia, não aguentou muito e tirou.

 

O abracei por trás, segurei forte na sua cintura  e falei: 

- Cade o marrentinho agora heim? Não tava duvidando do tamanho do meu pau? Agora tem que aguentar ele todinho centímetro por centímetro dentro dessa rabinho. 

 

Ele se virou assustado olhou pra mim cara e disse: 

- Oloco cara. Não faz isso comigo não, "tava de zuera" com você.  

Dei risada e um abraço nele, dando um beijo em sue pescoço falando pra ele relaxar que eu estava de brincadeira com ele, foi só pra dar um sustinho. Ele respirou aliviado pediu para mim se levantar, perguntou se queria água que ele estava com a garganta seca, aceitei. Nos levantamos e descemos para a cozinha.  

Enquanto ele tomava água o abracei por trás, dando um beijo bem gostoso. Pra tentar fazer ele relaxar e ficar mais tranquilo. Ele começou a se esfregar no meu pau de novo. Se debruçou sobre o balcão que dividia a cozinha da copa, empinando a bundinha e pedindo pra mim ir colocando de novo no rabo dele. Me abaixei, o chupei bem gostoso, dei uma boa lubrificada e comecei a colocar novamente. A cabeça mal entrou e ele saiu da frente, disse que não dava estava doendo muito. Fomos para a sala, o deitei no sofá de frente pra mim, ergui suas pernas ate meus ombros, posicionei meu pau na entrada do rabinho dele... se assustou. Pedi pra ficar tranquilo, iria somente o fazer gozar, peguei em seu pau e comecei a masturbar.

 

Enquanto beijava suas pernas, e brincava com a cabeça do meu pau na sua bunda, batia uma pra ele. Estava entregue, olhava pro meu rosto e sorria, começou a ficar arrepiado, e a se contorcer. Não demorou ele gozou com a minha punheta. Soltei suas pernas, o deixei esticadão no sofá, parei do seu lado bem perto da sua boca e comecei a me masturbar olhando pra ele.

 

Aquela carinha de meninão, todo largado só me olhando me deixou louco pra gozar. O que não demorou muito, gozei, cobri o rosto dele de porra, ele se assustou com as primeiras esguichadas. Gozei muito naquele marrentinho, que a esta altura já estava outro meninão, muito mais gente boa e relaxado.   

 

Me sentei ao seu lado enquanto ele se  limpava, logo após ele veio me abraçando e me beijando, pedindo desculpas pela forma que e agiu. Que quer me dar de verdade sentir meu pau todinho dentro dele. Mas que desta vez não aguentou doeu muito. Disse para fiar tranquilo, que  na primeira vez é mais complicado mesmo, mas que na segunda ele não me escapa.  

Subimos para o banhiero do seu quarto, tomamos um banho, me arrumei recebi meu dinehiro por centimentros (risos) e voltei pra casa  

 

Já em casa recebi uma mensagem dele me perguntando quando poderíamos voltar a nos ver novamente! Nem preciso dizer que já tem dada pra voltar com o marrentinho ne?  

  • Instagram - Black Circle
  • Twitter - Black Circle

Todos os diretos reservados a ©JuanCalabares (19) 9 9627 7211

AGUARDE A PAGINA SER CARREGADA 

Registre-se no Site e receba as atualizações.