FODA HARD !

TAPAS, CHUTES E CUSPIDAS

 

Coloquei um anúncio na cidade de Piracicaba e não demorou muito pra ele entrar em contato comigo, perguntou se eu curtia uma foda mais forte, com pegada mesmo. Sem essa coisa de carinho. Curtia ser humilhado, pisado, xingado, se sentir um lixo. E ele estava falando com a pessoa certa.  Marcamos nosso encontro e lá fui eu. 

 

Chegando na rodoviária o avisei, mandou um Uber vim me buscar. No local  vi um rapaz, alto, de cabelos raspados, branco, corpo gostoso. Estava de short curto marcando a bunda e as pernas. Desci do carro e entrei com ele em seu local. O safado já tinha deixado tudo preparado. Dava pra ver que ele colocou tudo estrategicamente para ser fudido.

 

Nem nos falamos direito, já fomos nos pegando. Segurei firme pela cintura dele dei um beijo e já fui tirando sua roupa, deixando ele sem nada. Ele veio pra tirar a minha, segurei suas mãos e disse:

 

- Parou! Quem manda aqui sou eu, quero ver você peladinho de quatro pra mim. AGORA!!! 

 

Ele deu um sorriso bem safado, tirou toda sua roupa. Se ajoelhou e foi empinando o rabo pra mim. Dei uma volta por ele, olhei bem e disse:

 

- É isso? 

 

Ele sem entender olhou e disse:

 

- Isso o quê? 

 

Parei em sua frente, segurei seu queixo e disse:

 

- Não vi nada demais em você, apenas mais um, se levanta, fica em pé, VAI !!!. 

 

De imediato ele se levantou e me disse:

 

- Até quando vai ficar de roupa? 

 

Me virei e dei um tapa em sua cara e apenas respondi: 

 

- Até a hora que eu quiser. Preciso te mostrar quem manda aqui. Acho que não entendeu ainda. 

 

Ele se assustou. Me afastei um pouco, dei mais uma olha e o chamei pra perto. Primeiro mandei ele desamarrar meus sapatos, tirar um por um. Tirar as meias e dar uma boa lambida nos meus pés, chupando dedo por dedo. Eu já estava com o pau estourando dentro da calça. Mandei ele se levantar e tirar minha camiseta,  em seguida minha calça. Quando se abaixou para tirar minha calça deu uma pegada no meu pau. Segurei firme a mão dele, olhei bem na sua cara e falei:

 

- Ai você coloca a mão só quando eu mandar. Continua tirando minha roupa sem tocar nele, e isso é só um aviso, eu falo somente uma vez. 

 

Ele baixou  a cabeça e continuou tirando minha roupa. Terminou de tirar minha calça e já veio pra tirar minha cueca, e mais uma vez pegou em meu pau. Desta vez nem falei nada, quando percebeu já estava no chão com o tapa na cara que levou. 

 

- Eu te avisei, agora você aguente as consequências. 

 

No chão, comecei a chutar seu rabo, e dar tapas na sua cara, e tudo isso com  uma boa sequência de palavras:

 

- Seu filho da puta, viado do caralho, te avisei que não era pra relar no meu pau! Seu merda, você está onde nunca deveria ter saído, no chão. INUTIL. Vai toma no cu porra, seu LIXO. 

 

O puxei forte pelo braço o deixando de joelhos dei uma cuspida na cara dele e disse:

 

- Queria pau, porra? Agora vai ter pau, empina esse cu CARALHO. Anda seu INSOLENTE. 

 

Ele ficou de quatro empinou o rabo, coloquei a camisinha dei um cuspida no seu cu e soquei de uma vez, sem dó, sem piedade. Ele deu um grito alto, se jogou pra frente no chão. Cai em cima dele com meu pau no seu rabo, passei meu braço por  seu pescoço  puxando sua cabeça pra trás e soquei sem dó novamente, meti com vontade. Ele foi ficando vermelho, estava quase sem ar com meu braço o sufocando, ele tentava se soltar mas não dava. Sou magro mas tenho força, sei dominar um puto. 

 

Soltei, o empurrei pra cima do colchão dei um chute no seu rabo e falei: 

 

- E ai, tá bom? 

 

Abusado me respondeu: 

 

- É só isso que vc sabe fazer? 

 

Porra, ele tava pedindo. Ele acabou de falar isso, levou um tapa na cara que ficou o sinal da mão. Segurei ele, levantei, o coloquei de joelhos em minha frente e disse: 

 

- Agora abre essa boca e engole meu pau.

 

Ele veio pondo a boca bem devagar, segurei sua cabeça e enfiei tudo até o fundo. O segurando contra meu pau, ele foi ficando vermelho, tentando se soltar, olhava pra mim com os olhos pingando lágrimas.  Tentava tirar meu pau que o sufocava mas não deixei. Quando estava quase sem folego soltei, ele caiu de costas no chão. Fui pra cima dele, o virei novamente de quatro, cuspi sobre ele, molhei bem minha mão com  o cuspi e comecei a dar tapas no rabo. Ele pedia pra parar, quanto mais pedia, mais apanhava, até q ele se calou e ficou mudo, parou de reclamar, ai sim parei. Seus olhos estavam lacrimejando e seu rabo vermelho, em brasa.  Eu já estava suando muito. Me deitei no colchão ao lado e mandei ele vim me lamber, limpar meu suor. Começando lá dos meu pés, veio subindo, ordenei a ele nem se quer chegar perto do meu pau. Desta vez foi obediente. Parou em minhas axilas e chupou, estava cheirando forte, cheiro de macho, era disso que o puto gostava, chupou e lambeu muito elas.  Ele veio me dar um beijo, e ganhou um tapa na cara, falei pra ele:

 

- Não to aqui pra  te dar carinho porra, não entendeu ainda. 

 

Me levantei, o segurei pelo pescoço deixando ele de pernas pra cima, enfiei meu pau no seu cu e fui socando enquanto apertava forte sua garganta com as mãos. Socava, e dava tapas na cara daquele viado.  Ele estava todo vermelho, e com o pau estourando de duro. Sai de dentro do seu cu. Mandei virar e se deitar de rabo pra cima.  E comecei a enfiar meu pé dentro daquele cu, que já estava ficando cada vez mais arrombado. Dei várias cuspidas em suas costas, pisei muito sobre ele, e só pra deixar claro falava:

 

- Ai é seu lugar, sobre meus pés. Viado inútil. Seu lixo, não vale o chão que você pisa, filho da puta. 

 

Deixei ele deitado ali e me sentei em um poltrona que tinha ao lado,  olhando pra ele falei:

 

 

- Vem aqui, engatinhando e mama o pau do teu dono. vem. AGORA. 

 

Ele se levantou meio com dificuldades, estava bem marcado e dava pra ver que estava bem dolorido. Veio se arrastando e começou  mamar meu pau, com pouca vontade. Segurei firme novamente sua cabeça no meu caralho o fazendo sufocar de novo. Ele saiu de uma vez e disse:

 

- Cara não tô aguentando mais. 

 

Nem liguei pra isso, fiquei de quatro na poltrona e falei: 

 

- É bom dar um jeito, pois agora é você quem vai me fuder. 

 

O cara se transformou, e veio de boca no meu cu. Caralho, como mandou bem. Chupava muito gostoso. Segurei sua cabeça contra meu cu, e forcei, deixando ele ficar sem ar enquanto chupava meu rabo.  Me virei e cai de boca no seu pau, caramba que pau gostoso, mamei todinho com vontade, até q ele veio e forçou minha cabeça com tudo fazendo eu me engasgar. Na hora me levantei e dei em chega pra lá nele:

 

- Tá ficando louco caralho? Tá esquecendo quem manda aqui?

 

Ele recuou pediu desculpas, voltei a mamar o pau por um bom tempo, curti muito aquele caralho. Parei de mamar, me deitei de bruços no colchão  e disse:

 

- Vem me fode, mas com calma bem devagar!!! 

 

Ele veio colocou gostoso o pau, bem suave. Mandei ele  encostar só o pau em mim nem uma outra parte do seu corpo, fazendo com que ele ficasse suspenso somente fudendo meu cu. Queria ver quanto tempo ele aguentava assim. Fiquei deitadão só curtindo o pau dele entrando e saindo, e cada vez mais devagar ele estava se cansando. Seu suor pingava em minhas costas, até que ele desabou em cima de mim. Mandei ele sair,  se virou deito do lado e disse:

 

- Não aguento mais, tô cansado. 

 

Que se foda, quero da meu cu agora senta ali que eu quero rebola nesse caralho. Disse a ele, que logo obedeceu. Sentou em uma poltrona subi no seu pau e comecei a cavalgar. Ele veio para me dar um beijo e levou outro tapa na cara. Isso foi a gota pra ele, que me segurou firme pela cintura e começou a mete, ai sim ele comeu com vontade. Me levantou da poltrona me jogando sobre o colchão, me colocou de quatro  e veio meter com mais vontade em mim. Metia forte,  eu rebolava naquele caralho de macho gostoso, e só falava:

 

- Isso seu merda, me fode, come meu cu caralho. Me mostra o que você sabe fazer.

 

Me virou colocando de frente pra ele, enfiou seu pau em mim com minhas pernas em seu ombro e voltou a me foder. Não falava  nada só metia em mim, e me olhava com aquele ar de superior. Deixei ele tomar conta do meu rabo. E o puto aproveitou. 

 

Depois de me foder muito, ele se deitou do meu lado, eu já estava esgotado também. Agora só queria gozar e encher aquele viado de porra. Era assim que ele gostava de ser tratado. Mandei ele ir para o puf que tinha ali, se deitar e virar a cabeça pra mim, soquei meu pau no fundo da garganta. Fodia aquela boca com tesão, com vontade, ele babava, se engasgava, aquilo só aumentava meu tesão. Soquei fundo na boca dele até que veio o gozo, aaaahhhh porra que tesão, foi porra pra rodo lado, enchi a cara do puto. Mal acabei de gozar, ele se levantou pois a camisinha me colocou de quatro e veio me fodendo. Meteu forte, tirou o pau do meu cu me pôs de joelhos e cobriu minha cara de porra. O viado caiu do lado no colchão e eu deitei do seu lado. Nos olhamos e demos boas risadas. 

 

Depois  da foda, todos gozados, fomos para o banho, e ai sim começamos a conversar. Após o banho deitamos no colchão e ficamos de papo, caricias. Ele disse estar realizado, que fazia tempo que não levava uma surra dessas. Minha mão estava até inchada de tanto que  soquei ele. Tinha marcas por todo o  corpo. Mas ele quem pediu, e eu que não sou bobo nem nada apenas aproveitei. 

 

Mas o mais interessante foi após nossa foda, ver como ele era uma pessoa doce e carinhosa, totalmente diferente daquele putão submisso na cama. Por isso que gosto do sexo, nos permite ser tudo entre quatro paredes. 

 

Me despedi dele, e confesso queria mais. 

  • Instagram - Black Circle
  • Twitter - Black Circle

Todos os diretos reservados a ©JuanCalabares (19) 9 9627 7211

AGUARDE A PAGINA SER CARREGADA 

Registre-se no Site e receba as atualizações.